Como nós na delaware quebramos o preconceito #BreakTheBias – Dia Internacional da Mulher 2022

08 mar 2022

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher (8 de março de 2022), perguntamos aos profissionais de todo o mundo como eles vivenciam a desigualdade de gênero e o que fazem para quebrar este preconceito – que é o tema deste ano: #BreakTheBias. Contamos com a participação de mulheres e homens, que nos contaram exatamente como planejam combater os estereótipos, a discriminação e acabar com a desigualdade de gênero.

Larry Gourley, arquiteto de mudança organizacional e treinamento 

“Nos primeiros 14 anos de minha carreira, meu crescimento como professor e pessoa foi fortemente influenciado pela liderança de mulheres fortes. Ao ingressar na indústria de tecnologia, observei microagressões que impactaram a retenção e o avanço de colegas com base em gênero e outros aspectos de sua identidade.

Para ajudar a quebrar o preconceito (#BreakTheBias), tenho como objetivo criar um espaço seguro como líder de equipe e influenciar, sempre que possível, oportunidades de crescimento e liderança. Para transformar essas metas em ações, é preciso contar com alguém que desafie as suas suposições sobre preconceitos e aponte os pontos fortes e de melhorias. Hoje, uma ex-colega desempenha este papel de conselheira e eu valorizo humildemente todo o seu feedback.”

delaware América do Norte 

Lizzy Velasco, Lead na linha de serviço de gerenciamento de mudanças

“Mesmo antes de Sheryl Sandberg escrever seu livro "Leaning In", eu tinha uma colega que mudou minha mentalidade sobre mulheres e os papéis que desempenhamos nas organizações. Ela falou para eu me sentar à mesa – e não em qualquer lugar – na ponta da mesa, o local de destaque. Como mulher, nossa tendência é de sempre ficar de lado ou deixar outros sentarem na ponta, quando, na realidade, nós deveríamos assumir essa posição de destaque. Uma voz que deve ser ouvida e escutada, ideias e insights que trazem diversidade e frescor em cada nível de uma conversa.

Foi também então que percebi que mulheres precisam apoiar outras mulheres. Nós somos a mudança; desde as palavras que dizemos uma à outra até a remoção dos nossos próprios preconceitos “femininos” (como: ela é muito “emotiva”). Eu tenho orgulho de ser uma líder e mulher perfeitamente imperfeita. Nossa vulnerabilidade, feminilidade, intuição, nosso lado carinhoso… essas características são unicamente nossas e permitem que nós, nossas equipes e nossa organização nos tornemos melhores a cada momento.”

delaware América do Norte

Antoine Van de Vyver, analista de negócios SAP

“Embora a TI seja frequentemente retratada como uma indústria dominada por homens, acredito firmemente que todas as mulheres que desejam trabalhar neste setor devem ser incentivadas a fazê-lo. Além disso, é sempre mais agradável e benéfico para todos poder trabalhar e evoluir em um ambiente o mais diverso possível.”

delaware Belux

Nele Vijt, consultora sênior & líder de equipe em SAP Customer Engagement

“Para que possamos quebrar o preconceito - #BreakTheBias, nunca devemos ter medo de falar quando vemos ou ouvimos um comportamento que decorre de preconceito. Tente descobrir seus preconceitos implícitos e tenha uma discussão aberta sobre isso para aprender com as experiências que a outra parte pode ter tido, ao em vez de se basear apenas na visão de suas próprias experiências.

As pessoas às vezes falam 'ah sim, você é feminista’. E embora euveja isso como um elogio, esta não é a real intenção delas quando eu as alerto sobre o uso de linguagem enviesada. Mas, será que descreveríamos um homem como “mandão”? São pequenas coisas como esta que mostram que ainda existe um grande espaço para melhorias. Eu acredito que é importante explicar que, mesmo quando não vemos o problema ou a desigualdade, isto não significa que eles não existam.”

delaware Belux

William Tamaro, Lead de BI & Data Analytics

"Na minha humilde opinião as pessoas não nascem com preconceito, mas o herdam da sociedade e da família. Para quebrar o preconceito devemos primeiro nos questionar sobre crenças limitantes e nos opor a qualquer forma de preconceito. Eu apoio essa causa capacitando as pessoas por suas habilidades na vida corporativa e pessoal, independentemente de gênero, orientação ou cor da pele."

delaware Brasil

Audrey Pessoa, consultora financeira SAP

“Eu fui voluntária em um orfanato no Haiti durante um ano – experiência que com certeza me ajudou a quebrar o preconceito de estereótipo. Nós estereotipamos muito as pessoas de cor de outro país e isto está enraizado na sociedade. Mas, na verdade, elas são iguais a mim e a você, o que muda são as condições em que elas nasceram. Eu achava que a minha experiência no Haiti se limitaria em ajudar as pessoas financeiramente, mas fui surpreendida pois o amor que recebi deles foi muito maior. Vamos quebrar o preconceito doando o nosso tempo para ajudar o próximo!”.

delaware Brasil

Sparrow Zhang, consultora sênior funcional

Faça o que você ama e nunca tenha medo de ser subestimada(o). Vale a pena mudar o preconceito no mundo e a desaprovação das mulheres, a cada passo. Siga bravamente no caminho que você definiu para si mesma(o) e seja destemida(o) para alcançar seus objetivos e ambições. ”

delaware China

Adrien Lacroix, Vendas

“A extensão da licença de paternidade na França para 21 dias desde 2021 é um sinal encorajador para colocar homens e mulheres na posição de igualdade no local de trabalho: que possamos continuar vendo esforços nessa área para o benefício de todos e a alegria de nos tornarmos pais!”

delaware França

Low Sze Ting, analista de negócios

“Não precisamos estender para o ambiente de TI o estereótipo de mulheres que têm medo de “bugs” – termo em inglês que significa insetos e é utilizado no ambiente de TI para se referir a falhas inesperadas. Corro para resolver falhas de TI e a satisfação e alegria de solucionar esses bugs com certeza não deve ser limitada por conta de um estereótipo. Vamos continuar quebrando os bugs e os preconceitos! #BreakTheBias”

delaware Singapura

Pei Lin Yeo, diretora-gerente

“Todo mundo tem preconceitos, mas nem todos eles são necessariamente negativos. Às vezes, eles surgem de boas intenções, por exemplo, quando presumimos que um novo pai vai querer que nós dêmos alguma folga enquanto ele/ela se acomoda em seu novo papel como pai/mãe. Não acho que possamos eliminar completamente preconceitos ou estereótipos de nosso comportamento, mas todos devemos definitivamente exercitar mais a autoconsciência em nosso comportamento diário para reduzi-lo o máximo possível.

Embora, sendo uma mulher asiática, eu faça parte da minoria no grupo de parceiros delaware, nunca me senti discriminada. Essa é a beleza de quem somos... Na delaware tratamos todos como iguais. E se você tem um lugar à mesa, é porque você o mereceu. E é assim que queremos continuar operando. Nós colocamos em prática políticas, programas e mecanismos para apoiar cada pessoa em sua jornada profissional, independente de gênero, idade, nacionalidade, raça ou necessidades .”

delaware Singapura

Michel Verwijmeren, consultor sênior

“Como um novo pai, estou feliz de estar no comando do meu equilíbrio entre vida profissional e pessoal.”

delaware Holanda

Meagan Mirandilla, analista de logística

“Na sociedade, as mulheres têm que trabalhar duas vezes mais do que os homens para ganhar o mesmo nível de respeito. Estamos sujeitas a piadas e tratamentos misóginos. No entanto, à medida que mais mulheres assumem cargos de liderança, isso me inspira a continuar lutando para alcançar meus objetivos, sabendo que há oportunidades iguais para todos.”

delaware Filipinas

Anna Liza Flores, consultora sênior

“Estereótipos – intencionais ou não – tiram a confiança da pessoa em sua individualidade e em si mesma. Na maioria dos casos, isso afeta suas interações sociais e a inibe de fazer o que está além do “rótulo”. Sou feliz de fazer parte da delaware! Nós valorizamos o RESPEITO por cada indivíduo. Independentemente de gênero, aqui nós podemos nos destacar!”

delaware Filipinas

Chesca Gallegos, diretora-gerente

“Todos merecem respeito e tratamento justo. Localmente, desde a modernização das Filipinas (após os anos 80), experimentamos uma sensação mais profunda de empoderamento com vagas abertas para mulheres, incluindo cargos de nível gerencial e de liderança, em todos os setores. No entanto, essa demanda não diminuiu a expectativa de continuarmos sendo donas de casa em tempo integral e nos encaixarmos na imagem “maternal” que nos é imposta pela sociedade, e ainda, por vezes, sermos discriminadas no trabalho se estivermos grávidas.

Globalmente, vivenciando isso em primeira mão, ainda somos vistas como prestadoras de serviços (enfermeiras, cuidadoras, babás, cantoras, dançarinas). Com cada vez mais mulheres trabalhando em empregos dominados por homens, como TI, já vimos um número crescente de mulheres assumindo funções em todos os níveis de uma organização. Torço para que um dia, espero que em breve, as mulheres filipinas sejam percebidas como iguais em todas as facetas (inteligência, compensação, oportunidade).”

delaware Filipinas

Igualdade de gênero na delaware

Na delaware, a Responsabilidade Social é uma parte vital de nossa identidade e nossa estratégia, e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU nos fornecem uma estrutura sólida para nos ajudar a colocar palavras em ações. Especialmente o quinto objetivo de Desenvolvimento Sustentável “Alcançar a igualdade de gênero e capacitar todas as mulheres e meninas” serve de inspiração para continuarmos cultivando a Diversidade e Inclusão. Eles visam tornar a delaware o melhor local de trabalho possível para todos, independentemente de raça, idade, sexo, deficiência, crenças religiosas e culturais ou orientação sexual.

A delaware se compromete inteiramente em criar um ambiente inclusivo que empodere todos os seus parceiros. Nós acreditarmos que um ambiente diversificado é a melhor garantia de sucesso para nossos parceiros e clientes.

Leia mais sobre nosso compromisso com a inclusão